Sindicalistas classificam ocorrência como “truculência do governo”

voz-da-cidade